A morte que junta todas as sincronicidades

Ontem, estava assistindo a The Doors, a biopic do Jim Morrison, que, além de mil coisas, está enterrado no cemitério Père Lachaise, em Paris.

Hoje, vendo o feed do Open Culture, encontro este curtinha, ambientado lá.

Sincronicidade é isso. Não é necessariamente porque tudo no universo está conectado, mas porque eu estava com o filme fresco na cabeça, que faço conexões extras por aí. A velha história da mulher que fica grávida e, de repente, começa a notar milhares de grávidas ao redor dela.

Mas eu estou revelando um truque dos escritores

Não é porque a pessoa é excepcionalmente talentosa que encontra as ideias geniais. Elas só precisam estar prestando atenção às coisas certas para que a sincronicidade aconteca.

Captou?

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.