Adversários e Inimigos

Minha nova correspondente, Madame Marianarrpp, escreveu esse post sobre um fenômeno bem interessante.

As campanhas políticas dos partidos estão cada vez mais parecidas, independente da distância ideológica entre eles. O discurso dos partidos está ficando igual.

Isso deve ser um prato cheio pros adventistas do fordismo na publicidade, mas deixo isso pros profissionais da área discutirem. Eu acabei embarcando em outra linha de raciocínio.

Lendo o texto dela me lembrei de um outro do Mind Hacks, que propõe um modelo de experimento para estimar a capacidade das pessoas identificarem a que partido pertence alguns trechos de comunicações partidárias recortados do contexto.

Uma proposta bem interessante.

É engraçado imaginar alguém embaralhado errando as respostas desse experimento, atribuindo uma frase dos conservadores aos trabalhistas, mas e no seu caso?

Se eu copiar um parágrafo do site de algum partido, você consegue me dizer de onde tirei?

Se eu recortar alguma frase dita pela bancada ruralista e colocar num broche do partido verde, tem gente que usará?

E se ainda temos que discutir sobre quem foi o campeão de 1987, como podemos dar atenção aos políticos e seus discursos pra melhorar a identificação?

Cá, na terra das jabuticabas e pitombas, com multilhões de partidos, é ainda mais difícil essa separação. E olhe que nem falo de separar joio e trigo, mas distinguir entre joio da esquerda e joio da direita.

É bom pensar nisso num ano em que não temos que escolher entre seis e meia-dúzia.

Como se não bastasse de referências, Contardo Calligaris comentou no programa Roda Viva sobre esse mesmo fenômeno com palavras que gostei muito. Ele disse que nessa última campanha presidencial não vimos inimigos nos palanques, como nas campanhas de antigamente, e sim adversários. Os discursos eram quase os mesmos, só mudavam as cores das bandeiras.

Ele é de uma geração que viu os fascistas, comunistas, anarquistas se combatendo não só nos palanques, e as campanhas eram bem mais temperadas que as atuais. Vamos esperar as próximas gerações para saber se isso significa um avanço.

Alguém arrisca um pitaco?

0 Comments on “Adversários e Inimigos”

  1. Sacos da mesma farinha, né?

    No brasil, o discurso é meio indigente mesmo. Todo político é a favor de mais educação, mais saúde, mais polícia.

    Afinal, ninguém é contra a educação…

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.