É tão fácil errar no começo quanto no final

Se você parar pra pensar bem, faz sentido que a maioria dos acidentes de trânsito aconteçam quando você está saindo de algum lugar, ou chegando perto. Ou que as grandes cagadas profissionais sejam feitas por iniciantes ou gente com extrema experiência.

O erro dos novatos é justificado. Falta experiência. Pode faltar algum conhecimento. Falta tempo de reação.

Mas que um mega-especialista erre, de longe, parece esquisito. Mas o melhor jogador do mundo perde o pênalti na final da copa. O presidente da Coca-Cola lança a New Coke. Como isso acontece?

Excesso de confiança. Prática. Quando você já sabe como fazer, vai no piloto automático e não presta atenção nas calçadas, termina atropelando um pedestre. Alguma coisa muda, e os seus músculos, acostumados a agir de uma maneira, ficam parados.

A memória muscular faz do artista marcial um monstro, mas também é o ponto fraco

No Kung Fu, repete-se o mesmo golpe milhares de vezes, até o ponto em que se torna inconsciente, reativo.

E também é a oportunidade para que um adversário aprenda a maneira como o mestre executa o golpe, e daí para inventar uma maneira de anulá-lo, um pulo.

E assim o campeão beija a lona.

A insegurança nasce da repetição.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.