O futebol brasileiro não me representa

Ando cantando a bola desde o ano passado: a copa de 2014 deveria ser Portugal-Espanha, e ainda dá tempo de mudar tudo pra lá.

Desvantagens? Nenhuma.

Vantagens? Teríamos muito mais razões (e apoio popular) pra prender a grandesíssima cambada de gente que enriqueceu com esse imenso conto do vigário. O Brasil (e os poucos que ainda defendem a copa) passariam menos vergonha defendendo o indefensável, as obras dos estádios inacabados, incompletos ou simplesmente horríveis. Ninguém quebrará a cara quando os estrangeiros chegarem e rirem de chorar ao descobrirem que o Patropi não tem 3G, aeroporto nem transporte urbano.

E se fizéssemos o que fez a Colômbia, ainda teríamos uma desculpa honrosa, como quando a gente liga pros amigos e diz que não vai dar pra fazer a festa em casa porque o freezer quebrou e, bem, sem freezer não se faz festa. Que tal se a gente fosse pra outro lugar?

Estádio da Luz, sede da abertura. Já está pronto.

Estádio da Luz, sede da abertura. Já está pronto.

E dá tempo? Se o Brasil não conseguiu fazer uma Copa em seis anos, quem conseguiria?

Coisa mais fácil do mundo. Portugal tem uns oito ou nove estádios de ~nível copa do mundo~, os elefantes brancos que sediaram o Euro 2004 e as arenas do Benfica, Porto, Sporting, etc etc etc. Todos eles próximos a aeroportos de primeira linha, hotéis, restaurantes, atrações turísticas.

Santiago Bernabéu, sede do 2x6 contra o Barcelona.

Santiago Bernabéu, sede do 2×6 contra o Barcelona.

A Espanha tem outros tantos estádios. Vai ser difícil tirar a final do Bernabéu, mas o Nou Camp tá lá, o elefantão branco do Valencia também, o estádio do Sevilla, e outros. Dá pra fazer uma copa.

Os governos dos dois países, com o tamanho da crise que tem, baixariam as calças mais do que o PT baixou pra FIFA. Não seria necessário muito investimento, já que a população está acostumada a receber turistas de todo o mundo. Os europeus não teriam nenhum problema em ir gastar dinheiro no verão ibérico (já fazem isso mesmo, ué), e a horda de desempregados dos dois países está mais do que preparada para trabalhar em hostelaria.

O único contra, mesmo

Como eu disse, ando cantando esta bola pra quem quiser ouvir, tanto gringos como alguns amigos brasileiros. Os gringos, incrédulos, não acreditam no nível de desorganização, e acham que eu sou um pessimista, que não é possível que o trânsito, a corrupção ou a violência ao redor dos estádios brasileiros seja tão ruim.

Os brasileiros batem no peito e me chamam de vendido. Mas até aí, normal.

A única coisa chata, mas chata mesmo, vai ser aguentar os nervos numa final Alemanha x Espanha, em casa, e torcer pro Lewandowski não fazer o que ele já está acostumado a fazer.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.