Obsolescência programada. Jogando a vida fora no lixo.

Fim de ano, todo mundo pensa em comprar coisas, todo mundo joga coisas fora. É parte da sociedade na qual vivemos. Não há como escapar.

Nunca consegui explicar aos amigos europeus porque brasileiro troca de carro todo ano. Estradas ruins? Carros de plástico? Sempre achei que a gente trocava de carro pra continuar pegando mulher, mas tergiverso.

Não ponho a culpa nos empresários, nem nos publicitários. A culpa de você viver trocando coisas e comprando o que não precisa é sua mesmo. Seu vazio interior é demonstrado cada vez que compra o que não precisa. O meu também.

Bichinhos de Jardim, explicando o mundo em quadrinhos

Bichinhos de Jardim, explicando o mundo em quadrinhos

Obsolescência programada: o fim faz parte do ciclo de vida do produto

Há pouco tempo, a Televisão Espanhola exibiu um documentário sobre a obsolescência programada, este defeito de design que todo produto atual tem que o faz estragar-se para que tenhamos que comprar um novo. Como os iPods que precisam ser substituídos, ou os anti-depressivos que produzem substâncias que matam a nossa capacidade de produzir serotonina.

O bom da televisão pública é que os programas estão aí, livres pra gente ver.

A Espanha está em crise, ninguém têm dinheiro, e, desconfio, o que os governantes querem, atualmente, é fazer com que as pessoas comprem menos. Diminuir as dívidas mesmo. Apertar o crédito. Senão, como eu disse a um monte de gente ano passado, este país vai fazer companhia pro Brasil do Sarney.

Quem compra pra satisfazer desejos é o culpado do capitalismo?

O capitalismo não é um ente, um deus-diabo que obriga as pessoas a comprarem. Ele está dentro de todos nós. Somos livres para comprar, e achamos que somos livres para deixar de sê-lo, como aqueles fumantes que dizem que param na hora que quiserem. Mas nunca param…

Protestos no shopping

Desde que sou criança, vejo a maior bobagem anti-capitalista de todos os tempos, coisa adorável lá no nordeste. “Shopping X aumentou Y o preço do estacionamento. Isto é um roubo. Repasse.”. Nunca vi ninguém deixar de comprar. Nunca vi ninguém buscar alternativa. Só reclamam.

O capitalismo nos proporciona dois grandes prazeres. O menor é o de comprar e ficar satisfeito por umas duas horas. O prazer mais importante é reclamar dele. A gente adora falar mal dos donos do shopping, dos publicitários, dos empresários, da China (!?¿), mas parar de comprar buginganga, ninguém quer.

Mas é sempre bom pensar a verdadeira razão por trás de qualquer ação sua. Inclusive um boicote.

0 Comments on “Obsolescência programada. Jogando a vida fora no lixo.”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *