Olá, como vai? Conta as novidades.

Coisa irritante e mania típica das pessoas, principalmente familiares, é perguntar o que você andou fazendo nos últimos dias.

A resposta é sempre chata: comi, dormi, fiz a feira, fui pro trabalho, assisti um pouco de televisão, lavei a louça.

Todo mundo faz isso, pô. Não é assunto. Então, por favor, se eu já contei 3 coisas interessantes que aconteceram comigo esta semana, não pergunte por mais novidades. Tudo o que sobra é isso. Tomei banho, dobrei camisetas. Isso não interessa, porque todo mundo faz. Se eu tivesse inventado um método genial de dobrar camisetas, já teria contado a todo mundo.

A vida cotidiana não é mesmo interessante. Por isso é gênio quem transforma cotidiano em arte.

Das maravilhas da língua inglesa

Uma das palavras mais úteis do idioma bretão é a palavra shit. Serve para praticamente qualquer coisa. Parecido com a palavra coisa em português. Se alguém me pergunta o que eu fiz quarta-feira passada, eu respondo: trabalhei e did some shit at home. Ou seja, lavei roupa. Ou o banheiro. Ou qualquer outra porcaria, que eu nem me importo nem lembro. Não pergunte mais, que é assunto desinteressante.

O dono mordendo o cachorro

Puxar conversa é como inventar notícia de jornal. Só lembramos das que são diferentes, das que fogem do cotidiano. Não me interessam as notícias dos cachorros que mordem gente, nem as conversas de elevador sobre o clima, nem contar pra ninguém o que foi o meu almoço na quarta-feira (uma marmita meia-boca, de macarrão congelado que eu fiz mal e porcamente).

Tenho uma amiga que, quase todo dia, manda um email dizendo: “puxa assunto”. Ou então eu mando um. Nunca é algo do tipo: “o que você comeu ontem?”, porque não interessa a ninguém.

Último adendo: o interesse é diferente pra cada um

Meu cunhado tem um restaurante. Adora comida, faz comidas maravilhosas, e boa parte do dia dele é dedicado a entender como a combinação de um monte de troço gera sabores diferentes. Para ele, discutir ingredientes é algo importante. Pra mim, não. Eu gosto de comer e depois pagar a conta.

Tem uma caralhada de mulheres que combinam roupas com outras, entendem as vibrações de pensamento dos grandes estilistas e terminam gostando de moda. Eu não converso sobre isso. Camisetas só são legais se tiverem uma ilustração engraçada.

Uma boa parte dos parentes mais avançados em idade só conseguem se preocupar com casa, arrumação, comida, pagar as contas. Tipo, para eles, eu (ou você, ou outrem) sou uma criança incapaz de realizar as tarefas do dia-a-dia sozinho, sem que alguém fique me perguntando o tempo todo se eu arrumei a cozinha, paguei a conta ou lavei atrás das orelhas. Na realidade, eu ainda preciso de ajuda pra isso, mas eu uso o Rememberthemilk.com, e não preciso discutir por telefone se andei fazendo esse tipo de coisa. Ser adulto pode ser chato, mas é muito mais chato ficar conversando sobre se eu assinei a Tv a cabo ou não.

Enfim, um post rant, sem sentido, sem objetivo e sem nada. Mas é porque eu precisava ventilar isso e os adultos não iriam entender.

9 Comments on “Olá, como vai? Conta as novidades.”

  1. Tarrask,

    Eu descobri que dá pra gerar muita conversa se falando sobre coisas simples.

    Se alguém lhe pergunta sobre o que você fez e você responde falando sobre sua evacuação e a consistência do cocô, isso rende muito papo.

    O foda é que a conversa passa a ser sobre internação, ou sobre a última vez que você foi ao médico ou sobre se você deixou de tomar a medicação.

      1. Não sei quantos cocôs alheios você tem visto, mas se você tá pensando neles, deve estar lembrando da consistência e cheiro.

  2. foi pra ti que eu disse que detesto início de conversa “conta uma novidade”, né? pa-vor

  3. ai, que adolescente =P

    pois eu acredito na função fática da linguagem. pelo menos, com as pessoas que eu sei que se importam comigo.
    quando a minha mãe pergunta como está o clima em são paulo, eu entendo que ela quer dizer que me ama demais pra me ver jogar a vida fora passando frio numa cidade tão poluída. e quando ela pergunta como foi o meu trabalho, o que ela quer saber é se eu ainda acho que vale a pena todo o esforço… se todas as conversas fossem dramáticas, diretor, nossa vida era uma novela.
    e da próxima vez que eu perguntar e aí, tudo bem? entenda que me importo com o que você pensa e sente, mesmo há tanto tempo e tão longe de mim.

    1. Pois é. Eu tô usando um pré-pago há 3 meses, e sou tão feliz. Até reclamo quando me ligam (“estou pagando, então fale rápido”).

      E sou feliz.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.