Silêncio, estamos gravando

Sendo brasileiro, eu nasci muito pobre em uma coisa. Acho que desde pequeno sentia falta, mas precisei ficar adulto para entender o tamanho da necessidade.

O Brasil é muito pobre em silêncio

Nem nos confins do meio do mato, isolado do nada, há barulho o tempo todo. Até a natureza retumbante retumba sem parar. É água, pau, pedra, mosquito, bicho, onça, batuque, gente dando opinião, gente recebendo opinião.

O brasileiro tem vergonha de qualquer silêncio, até os constrangedores. E talvez por causa disso, a maioria das pessoas não sinta falta. Aliás, sentem falta das palavras, das frases, mesmo quando não dizem nada. Tchêtchererê. Mas não dê pausas.

O lugar anti-brasileiro por definição

Este post começou porque encontrei este link no No me lo puedo creer. Há um lugar no planeta no qual estudiosos bloquearam todos os sons exteriores. Ou algo como 99,999% e algo por cento. Tipo, quando você está lá, escuta as batidas do coração. E a comida passando pelos intestinos. E as unhas crescendo. É capaz, até, de escutar a sua consciência, se ela não estiver rouca de tanto gritar e não ser ouvida.

Dizem os estudiosos que o recorde de tempo lá dentro é 45 minutos. Mais do que isso, a pessoa sai de lá gritando. Pode enlouquecer. As consciências gritam muito, mas quando sussurram as palavras certas, pode ser pior ainda.

Tortura

Não duvido que usem uma coisa dessas para torturar e arrancar confissões.

Um brasileiro médio confessaria até os pecados que ainda não cometeu. Ou inventaria pecados novos, que somos gente criativa pra dedéu nesse aspecto.

Talvez eu seja a desonra da nação, ou masoquista. Mas eu adoraria experimentar.

4 Comments on “Silêncio, estamos gravando”

  1. Eu conheço gente que tem prazer em fazer com que os OUTROS escutem o resultado gasoso do funcionamento de seus intestinos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *