Um post procrastinado rapidinho

ToJi, Kyoto
ToJi, Kyoto

ToJi, Kyoto

No último ano, meus blogs foram completamente abandonados. Mas com violência, desprezo, uma apatia imensa de cuidar deles, de pensar em algo pra escrever. Eu realmente não sentia vontade nenhuma de botar palavras no papel (ou na tela). E então criaram ervas daninhas.

Escrevi bastante no twitter. Quem observa bem pode ver a quantidade imensa de besteiras que tem lá. Também abri dois ou três domínios novos, com ideias que me pareciam até interessantes, montei a estrutura, e também não consegui escrever. Um deles vai vencer no mês que vem, e acho até que não vou renovar, apesar de achar que deveria. Pareço o governo do Brasil. (Sim, fazer piadinhas políticas, pros dois lados, é algo que eu nao parei de fazer).

Até fiz uma newsletter pro Qualquer, mas só escrevi uma vez e nunca mais.

Tudo isso teve a ver com o fato de ter muito pouca coisa acontecendo na minha vida. Aquela história de que o tédio não inspira. Então, de repente, não mais que de repente, tudo virou de cabeça pra baixo, e uma cacetada de coisas aconteceram ao mesmo tempo. Eu até fui parar no Japão, e isso nem é a coisa mais impressionante. Quem ouviu um pequeno relato breve de quatro frases ficou com o queixo no chão.

Mas o grande problema que atrapalha tudo é: eu nunca deixei de ter tempo de escrever cinco parágrafos curtinhos assim, só pra dizer que estou vivo. Nem é difícil. Mas por que eu deixei passar tanto tempo?

Todo mundo já abandonou blog. Todo mundo já leu post prometendo voltar a escrever (eu até deveria kibar alguns). Eu até tinha dito que nunca mais ia escrever nada. Mas mudar de opinião de vez em quando é bom, né?

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.