Como Mijar Melhor

Existem coisas que a gente faz no piloto automático e não sente falta de refletir sobre.

Você já pensou em fazer xixi de uma forma melhor? Já refletiu sobre melhorar sua forma de urinar?

Há um custo gigantesco pra se executar uma atividade plenamente consciente dela. Para conseguir dar conta de todas as atividades que temos que executar no cotidiano,  economizamos energia ligando o piloto automático seja pra tirar água do joelho ou pra qualquer outra atividade que consigamos.

E essa economia é vital.

Imagine uma forma melhor e mais eficiente de urinar, alguma que lhe tome menos tempo, produza menos respingos ou que exercite os quadríceps no agachamento. Agora pense na diferença que isso vai gerar, e se o ganho com ela valeu o tempo que você passou pra chegar nessa solução.

Por isso esse automatismo é necessário pra nossa vida. A maior parte de nosso cotidiano é feito no automático.

Porém, existe um problema ao se usar esse piloto automático em outras atividades. Essa economia provoca uma falta de investimento, o que faz com que as habilidades necessárias pra se executar a atividade em questão parem de se desenvolver.

No automático, a gente não se aperfeiçoa mais.

O fato de dirigir pro trabalho todos os dias não me torna um motorista profissional. Minhas ações e reações são automáticas, sem reflexão. Não decido nada sobre pisar na embreagem nem pondero sobre a melhor forma de acelerar.

Sem prestar atenção, não tenho como avaliar e por isso não tenho como aperfeiçoar minha habilidade

O que permite que a gente melhore é essa avaliação, é o feedback que buscamos conscientemente sobre nossas ações. Você precisa se exercitar pensando e refletindo sobre o que está fazendo.

Precisamos praticar conscientemente para evoluir. Dividindo a prática em etapas, avaliando nosso desempenho em cada uma, elaborando alternativas, corrigindo os erros, testando novas soluções e melhorando o que ainda não está brilhante.

Um músico não se torna melhor por tocar uma sinfonia inteira. Ele busca a excelência praticando cada trecho da sinfonia até a perfeição, e só depois ele passa a executá-la por inteiro.

A competência numa área apenas com várias horas de atividade, esforço e dedicação, mas não de qualquer tipo. Toda sua atenção deve estar focada na avaliação e no desenvolvimento daquela habilidade. Nosso esforço deve ser controlado e consistente pra surtir efeito.

Uma hora de pedalada pode ser tanto um passeio quanto um treino.

Pra ser considerado um treino, precisa ter frequência definida, metas de desempenho, e uma bermuda colant.

Quem sai pra ver a paisagem, suar um pouco, está passeando e não pode dizer que está treinando. Por isso, também não pode esperar melhorar suas habilidades de ciclista.

Escutar muita música não lhe torna um músico, nem assistir House lhe habilita a diagnosticar alguém.

Pensar que o passeio no piloto automático vai nos desenvolver é uma armadilha cruel. É pensar que conseguimos nos desenvolver sem que isso nos custe nada, que nos aperfeiçoamos sem nos dedicar.

Temos que dar algo em troca para nos desenvolvermos, e a atenção é uma das poucas moedas aceitas nessa economia.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.