Na minha cultura ou na sua?

O Graveheart tava contando que, no Japão, as produtoras de games eróticos estão pensando em bloquear o acesso a IPs de outros países. A razão é que estes jogos são permitidos lá, mas não em outros, e, dada a reação da mídia internacional aos seus produtos, talvez o governo comece a pressioná-las. É um caso estranho, mas comum, da globalização.

Podemos listar muitíssimos costumes de vários países que não são comuns nos nossos (isso pra quem não se considera de dois países ao mesmo tempo, como eu). Touradas, vaquejada, bater em mulheres ou crianças, mandar idosos para asilos, vacinas obrigatórias, castração ou ablação, casamentos arranjados e um longuíssimo etcetera.

O problema, neste caso, não é de costume. Não é permitido estuprar pessoas no Japão. É ilegal, dá cadeia, e tudo o mais, como manda o manual da civilização humana. Tudo direito. O problema é que há japoneses que compram jogos onde saem por aí estuprando criancinhas.

Do mesmo jeito que há jogos onde as pessoas saem comendo cogumelos, fuzilando zumbis ou atropelando velhinhas. Exceto atirar em zumbis, todas as outras ações também são ilegais. Não se pode atropelar velhos (nem crianças, by the way), mas já conseguimos rir das pessoas que querem proibir os videogames.

Em todo e qualquer caso, é censura. Igual ao problema do americano que foi preso por ter hentais com crianças.

Acho que, ao não haver vítimas, não pode haver crime. Mas sempre vai haver alguém que quer impor os seus valores morais aos outros, né?

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.