Voltando para Recife, ou como mudar de cidade mais uma vez

Voltando para Recife, ou como mudar de cidade mais uma vez

Lá vou eu pra outra mudança, e começando preparativos fortes. Desta vez, a mudança é de país, e inclui desde trâmites burocráticos até mudanças de mentalidade. Mesmo sendo uma volta à casa, há coisas que eu precisarei mudar/adaptar/reaprender. Como o @heliomarques tava perguntando, eu resolvi blogar um pouco sobre isso, e espero que talvez seja útil. Afinal, 112% dos publicitários querem mudar de emprego e de cidade, né não? Ô raça inconformista.

Espírito de tartaruga
A primeira coisa é a quantidade de tralha que eu terei de levar. Como eu não estou indo, mas voltando, terei malas e malas de porcaria acumulada. Apesar de não ser muito materialista e adorar jogar coisas fora, eu não consigo fazer isso com livros, e eles pesam. Vão todos pelo correio, e acredito que chegarão bem depois da minha chegada. O resto, material mais sensível (documentos, computador, wii, eletrônicos em geral) vai tudo nas duas malas que a companhia aérea permitir. O importante é nunca esquecer de jogar o máximo de tralha fora possível. Lembrar que da vida a gente só leva a vida que a gente leva.

Se você não puder levar em duas malas, não é necessário. Não esquecer de jeito nenhum.

Cortando algumas raízes
Na hora de ir embora, a gente descobre tudo que amarra a gente, às vezes desnecessariamente. Linha de telefone, papéis, documentos, registros, contas de banco, etc. Na hora de mudar de país, é bom ver o que fica em aberto e o que precisa ser fechado. Não vale a pena pagar comissão pra um banco que você nunca mais vai usar, né?

Outra coisa que está complicando bastante a minha vida agora: diplomas. Preciso levar minhas pós-graduações válidas para o Brasil. Isso inclui ir mais duas vezes à universidade, depois a um cartório em Bcn, e depois ir a dois ministérios em Madri. A vantagem é poder passar uma semana lá, reencontrar todo mundo, tomar cañas em Lavapiés e, quem sabe, ver neve outra vez.

O lado bom
Em três palavras: festas de despedida. Algumas coisas bem impressionantes podem acontecer nestas horas.

Descobrindo a própria terra
Vocês acreditam que eu não lembrava que os planos de telefone em Recife são contados por minutos e não por dinheiro? Perguntar aos amigos onde eu tenho que ir pra renovar a carteira de motorista vencida, descobrir quais são as operadoras de internet, qual é o bar da moda, quais são as agências que vale a pena trabalhar e as que ficaram decadentes em 5 anos… A lista é imensa.

Procurando voos
Desta vez, não vai ter muito stress. Ganhei uma passagem de milhas. TAP daqui pra Lisboa, e de lá pra Recife. Depois disso, em 15 minutos estarei em casa. xpto. A questão é só encontrar uma data compatível com o fim do aluguel aqui, e que dê tempo pra resolver todas as raízes pendentes.

O gato
Sem dúvida, é uma dúvida ainda não resolvida. Vicente Celestino vai ou fica? Ou vai pra Portugal? Ou vira churrasco? Mandem um email, porque nessa aventura, você decide. 😛

Trabalho em Recife
Até agora, nada confirmado. Será que tá sobrando criativos online naquela terra? Acho até que seja provável que sim. De qualquer maneira, ainda tenho 2 meses pra fazer um portfolio digno do nome. Ou não.

0 Comments on “Voltando para Recife, ou como mudar de cidade mais uma vez”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *