O jeito errado de aprender

Artigo publicado no Jornal Contraponto, de João Pessoa-PB, em 2008

Aposto que quando você estudava, teve que decorar os rios da margem direita do Amazonas. Solimões, Negro, Azul, Pacaratibum, etc. Aposto que ainda ensinam isso.

Mas não ensinam a procurar no google.

Ainda obrigam as pessoas a decorarem coisas que todo mundo com acesso à rede tem. Em linguagem informática, a escola é um lugar onde enchemos o cérebro de dados.

Não se ensina a processar e transformar esses dados em algo útil, o que se costuma chamar informação. Porque saber os afluentes do Amazonas não é informação. Só será se for transformado em algo útil.

Aposto que quando você fez sua faculdade de jornalismo, os seus professores ensinavam que a notícia tinha que ser fresca, nova, recente. Curta, mas com toda a informação necessária. E que não deveria opinar, deveria ser imparcial. Ainda devem estar ensinando isso.

Mas não dizem que o trabalho informativo do jornal diminui cada vez mais, e que aumenta a busca por profissionais capazes de analisar e refletir uma notícia, às vezes por horas, dias e meses, para fazerem reportagens, porque a notícia mesmo, se tornou universal.

As maiores questões jornalisticas do Brasil são discutidas no Noblat, no blog do Reinaldo Azevedo, no Imprensa Marrom, na Tribuna da Imprensa online, no blog do Nassif, no fotolog da Xuxa, mas não entram mais na pauta da Folha, nem do Globo. O Estadão faz campanha contra os blogs, o senador Azeredo tenta proibir os comentários e a prefeita de Fortaleza entra na Justiça e consegue liminares para censurar gente que tava só passando, mas não tem nada a ver com o assunto.

Aposto que quando você quis ser publicitário, escutou a frase de Goebbels que a mentira repetida vira verdade. E achou o máximo. Achou linda a idéia de colocar um anúncio 40 vezes na televisão, até alguém realmente se convencer que aquele carro vai fazer sucesso entre as mulheres, ou que aquele remédio faz cabelo nascer de novo.

Mas não lhe disseram na faculdade que 87% dos jovens brasileiros usam o orkut. E estão lá, falando mal da sua empresa, que tem um apresentador gasguito que fica gritando que o gerente enlouqueceu, os preços baixaram, mas a promoção é até amanhã.

Aposto que quando você era criança a sua mãe dizia pra ficar calado e escutar o que os outros têm à dizer, que você aprende mais escutando do que repetindo o que aprendeu. Tem coisas que nunca mudam.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *